Pelo que temos visto, é melhor já irmos nos acostumando a conviver com o maldito do coronavírus.

Se por um lado grande parte da população não ajuda, não oferece a sua contribuição com o distanciamento e o isolamento sociais, uso de mascaras e de álcool adequado, por outro os poderes públicos ficam nesse vaievém, o abre-e-fecha que não para nunca.

Não adianta, falou em flexibilizar, a coisa só piora. Já tivemos várias experiências e, a cada relaxamento das medidas sanitárias para enfrentamento do coronavírus, a onda de novos casos retorna.

Parece até que a coisa está sendo conduzida por amadores que estão perdidos sem saber como conduzir a coisa. Recentemente, houve um relaxamento quando os índices estavam elevados. Certamente eles imaginavam que a partir da vacinação, o coronavírus havia se mandado.

A partir do domingo Dia das Mães, ficou evidente que os casos iriam aumentar. A Paraíba virou uma festa só; a aglomeração foi de Cabedelo a Cajazeiras, com bares, restaurantes, festinhas particulares, eventos públicos, falta de uso da máscara, tinha de tudo em todo lugar.

A coisa foi assim, tão notória, que nas redes sociais logo dispararam as postagens prevento que a coisa iria ficar ainda pior do que estava.

E é provável, até que esta nova onda ainda não esteja contabilizando o resultado das festanças do Dia das Mães. Pode ser que os casos decorrentes daquela festança ainda estejam por vir.

Governo e Prefeitura de João Pessoa retornam com novos decretos sanitários de enfrentamento do coronavírus, dando uma nova apertadinha. A enésima, digamos assim.

E tudo depois que um posto de testes volante instalado no Busto de Tamandaré surpreendeu a todos verificando, em poucas horas, que várias pessoas não apenas portavam o vírus como estavam acometidas da Covid-19.

Não adianta, enquanto o poder público enfrentar esse problema com a barruga, vamos continuar perdendo as batalhas para o maldito coronavírus.

O general Eduardo Pazuello quase se borra todo diante da CPI da Covid no Congresso Nacional. Segundo a imprensa, depois de umas encurraladinhas de leve ele teria passado mal.

Imagina se o inquiridor fosse o perverso do Brilhante Ustra, ícone da tortura no Brasil?…

As primeiras notícias foram de que o Sindicato das Empresas de Transportes teria decidido cancelar a Integração em João Pessoa. Só num segundo momento ficou esclarecido que seria na Grande João Pessoa, e não especificamente na Capital.

Bom, seja como for, continua o questionamento: e é assim, eles fazem o que querem? O Poder Público fica só espiando?

Com a palavra prefeitos desses municípios e também o Governo do Estado que tem jurisdição sobre todo o território paraibano.